terça-feira, 2 de outubro de 2012

PRIMEIRO AMOR

Você chegou com todas as certezas que eu precisava naquele momento. Sanou todas as dúvidas. Pôs fim em todas minhas angustias. Passou toda confiança necessária para enfrentar tudo o que viria pela frente. Todas as dificuldades que nos fizeram tão próximos e cúmplices. Só você até hoje me mostrou e me fez viver um verdadeiro amor. Aquele idealizado por todos. Que buscamos a vida toda encontrar. Um amor bonito, forte, que só a gente entendia. Lembro-me com carinho dos sorrisos, das brigas, confissões, declarações, das juras de amor eterno, de todas as mentirinhas que tivemos de inventar. Do ano novo chuvoso. Do carnaval preguiçoso. De como era bom compartilhar com você meus medos, meus sonhos, minhas angústias, minhas alegrias, meus planos. Mas os problemas aumentaram. Fui fraca. Parti. Soltei sua mão. Tava difícil demais segurá-la com todas as tempestades surgindo. Procurei abrigo. Um lugar seguro. Já não era mais os seu lado. Me vislumbrei pela venustidade de outra. Que erro. Não tinha nada a oferecer além de sua beleza. Futilidade. Passou. Mas você ficou. Permanece ate hoje. E para sempre ficará guardada em mim. Perdoe-me primeiro amor. Por todas as vezes que fui rude e não tive maturidade para entender seu amor. Puro. Imenso. Desmedido. Quase irreal.