terça-feira, 28 de agosto de 2012

CAMPEONATO


Aceitar que não sou a melhor opção. Opção? Segundo plano. Sabe aquele jogador reserva que fica no banco ansioso pra entrar no jogo e provar ao técnico que é capaz, que seu lugar é entre os titulares? Assim que eu me sinto. Se não der certo com João tem o Joaquim. Estar a disposição a qualquer momento. Quando você sabe que é melhor que muitos titulares e mesmo assim aceita ficar no banco, você deixou de ser reserva para ser trouxa. Já passou da hora de eu agir, entrar no jogo e provar, até para mim mesmo, a que vim. Só preciso de um time estruturado, que saiba do que precisa. Cansei de me esforçar como atacante numa equipe que precisava de um bom zagueiro. Trabalho pesado, sem retorno algum. Sem reconhecimento. Preciso ser acolhido como um fenômeno. Um time que me receba como a peça chave, o homem que faltava para serem campeões esse ano. Na temporada passada cansei de esperar minha vez. Promessas e mais promessas que nunca se realizaram. O banco sempre foi meu lugar no campeonato do seu coração. O campeonato acabou, fomos rebaixados. Pedi demissão. Tenho propostas tentadoras. Não foi bom enquanto durou. Foi angustiante, doloroso, desmotivador. Senti-me um nada todos esses meses esperando para entrar em campo. Tinha muito a oferecer. Eu tenho certeza. Não sou jogador que entra para perder. Por isso to indo ser o camisa 10 em outra equipe. O que me prometeram estão cumprindo. Espero que seu time suba para a primeira divisão sem muita dificuldade. Boa sorte com suas escalações! 

domingo, 19 de agosto de 2012

FICA


Pra onde você vai? Eu te deixo ir, mas espera. Vamos conversar. Você tem certeza? Eu te disse que pode, não que deve ou precisa. Fica. Só mais um pouco, ou o tempo que precisar. Eu não me importo, apenas fique. E me olha. Fala comigo. Não me deixa acreditar que foi tudo em vão, que no fim, não restou nada. Eu juro que tento, mas se começo a pensar eu me perco. E te encontro, e nos acho, e então, como? Como foi que viemos parar aqui? Prometo não perguntar mais nada. Eu digo que virei a pagina, que sou uma nova pessoa, que conheci uma cara legal. Todos já sabem. O chefe, o porteiro e também o seu zé da padaria. Sabe como é, já estava cansada das perguntas sobre você. Não queria ter que dizer a verdade. Pra bom entendedor, meia palavra basta. E isso eu nunca fui. Então, por favor, não economiza nas palavras. Diga. Apenas diga. Eu preciso saber. Quer gritar? Então use palavras feias, me insulte, jogue coisas na minha cara. Mas quebra esse gelo, tira essa parede que separa o que a gente foi um dia de quem somos hoje. Eu jurei que não ia procurar, que ia esquecer. Mas tentar esquecer é ainda pior que lembrar. É a certeza de que mais uma vez eu perdi, e que nem mesmo quando nada mais existe, eu permaneço, mesmo se te deixo ir.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

TEMPO


Meu estoque de palavras sobre você se esgotaram junto com tudo o que eu sentia. Não gasto mais meu tempo pensando no que já passou. Eu sabia que de alguma forma estaria lhe retribuindo a consideração e o respeito em algum momento. Tudo aconteceu fácil demais, e terminou mais fácil ainda. Fugaz. Criar expectativas com quem jamais vai superá-las. Ilusão. Tudo é um ciclo. Só seremos fortes o suficiente quando aprendermos a estar preparados para o fim. E com você eu sempre estive. Tem como saber que não vai dar certo desde o primeiro beijo, é fácil. Mas você não quer acreditar, quer insistir, arriscar. Vai que estava enganada. Quando o início é complicado o fim é certo. Encontrei em ti tudo que uma pessoa pode ter de errado. E mesmo assim quis tentar. Mudar você. Mas ou você ama do jeito que a pessoa é, com todas as imperfeições, ou cai fora. Namoro tem que trazer paz e você só me trouxe guerra. Agora é brisa no rosto, folha em branco, pés descalços, caneta na mão e ideias ao vento. Escrever uma nova página. Uma história mais calma e mais serena.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

EM VÃO


Tudo foi em vão? Não precisa responder, eu posso ver e sentir. Não sei nem dizer qual sentimento existiu entre nós. Você foi o maior dos meus enganos. “Dos amores que eu tive. O mais complicado e o mais simples pra mim”. Só você para me levar até as musicas do Roberto. E mesmo sabendo desde o início quem você era, resolvi arriscar. Sei lá o que dá na gente. Uma vontade cega de acreditar no outro. Mesmo sabendo que não deve. Sem certezas segui meu instinto. Cara na areia. Coração arranhado. Sede de amor. Você era o Saara e eu um dromedário, perdido na sua imensidão ignota. Tive delírios. Alucinações. Me perdi. Encontrei água. Encontrei-me. Tive ilusões. Me perdi novamente. E desta vez não me achei. Continuo sem saber onde piso, para aonde eu vou, se tento me achar ou esqueço essa história. Quem sabe algum dromedário me encontre e mate a minha sede. Como saber? Melhor andar perdida do que pseudo-encontrada. 

terça-feira, 7 de agosto de 2012

DESAFIO


O desafio dos meus dias tem sido não pensar em você. Que tarefa dificil. Tudo me remete a ti ou a nós. Ocupo a cabeça pensando na medicina, nas festas, nos amigos. Mas em tudo o que eu penso, no inicio ou no fim, acabo te encontrando. Perdida, passeando por mim, cutucando a ferida que tenta a todo custo cicatrizar com sua "ausencia". Devia ter deixado um manual de como te esquecer em cinco dias. Como é difícil não pensar em você, desejar sua presença, seu cheiro, seu toque. Ando perdida. Distraída. Ausente do mundo. Me traz de volta. Deixa eu pisar no chão e caminhar. Seguir a vida que eu costumava viver antes de você aparecer e virá-la de ponta cabeça e me transformar dessa forma. Me esquece garota! Cuida da sua vida! Quando o meu maior desejo é dizer: volta, me salva dessa vida!